Blog

Quais são as questões levantadas quando falamos em desfralde?

O “desfralde” consiste no controle do esfíncter urinário. O que é isso? 
A bexiga urinaria é um músculo e na saída da bexiga temos o esfíncter, uma parte deste músculo que é arredondada e faz uma “válvula” fazendo com que a urina não saia da bexiga em qualquer momento. Para o controle deste esfíncter, usamos nosso cérebro. Então, para o controle urinário precisamos amadurecimento e integridade do sistema nervoso central. Por isso, a idade é algo importante a se considerar no desfralde.

O volume da bexiga é um fator importante também. Entre um e três anos de idade, a aquisição deste controle depende de um aumento progressivo do volume da bexiga (em torno de 30 ml a cada ano até a puberdade).

Neste período, a criança passa a ter consciência da bexiga cheia e reconhece que a micção é iminente, mas inicialmente não é capaz de controlá-la. A maioria das crianças nesta idade, começa a comunicar que quer urinar, mas o intervalo entre o aviso e a micção ainda é muito curto.

Esse desenvolvimento é progressivo.

Nesta fase, a criança, muitas vezes, percebe a pressão exercida pelos pais e/ou cuidadores pela continência, sem ainda ter adquirido a capacidade de controle da micção. Esta cobrança inadequada faz com que ela tenha problemas na aquisição deste controle.

Aos três anos, a maioria das crianças está continente durante o dia. Após a continência existe um período variável, usualmente de até seis meses, em que o escape urinário pode ocorrer.

O controle urinário noturno ocorre em torno de seis meses a um ano após a retirada de fraldas durante o dia.

A retirada da fralda só deve ser iniciada quando a criança e os pais estiverem preparados.

Portanto, o processo é um pouquinho complexo…
Aumento da capacidade da bexiga;
Percepção de bexiga cheia;
Inibição voluntaria da micção;
e também a facilitação da micção, isto é, habilidade para iniciá-la antes de ficar com a bexiga cheia;

E quais as dicas práticas?

  • Com que idade começar? Geralmente por volta de 2 anos, porém converse com seu pediatra inicialmente;
  •  O processo tem que ser consistente, as pessoas que cuidam da criança têm que estar de acordo, terem a mesma conduta; sugiro combinar com a escolinha o processo de desfralde também;
  • Conversar com a criança explicando que ira deixá-la sem fraldas, para fazer xixi no vaso ou no troninho;
  •  A escolha entre o troninho ou vaso sanitário depende da aceitação da criança. Algumas crianças ficam com “medo” do vaso sanitário, mesmo com redutor, ou em outras situações, quando o vaso sanitário fica longe um troninho facilita esse processo.
  • A criança fica sem fralda o dia todo, colocando apenas para dormir;
  • Levar a criança até o vaso sanitário/troninho em intervalos regulares. Assim a criança vai criando o hábito de perceber a necessidade de urinar, segurar e se dirigir ao local adequado. Não se deve esperar que com a repleção da bexiga a criança consiga avisar e chegar ao vaso a tempo.

Lembrando que o processo é progressivo, então a criança vai se adaptando e adquirindo melhor controle.

© 2018 Dra. Cláudia Carneiro | Pediatria e Homeopatia

img-a9-link